Reuters logo
ACÇÕES PORTUGAL-PSI20 em leve queda, contraria recuperação Europa
April 5, 2012 / 8:39 AM / 5 years ago

ACÇÕES PORTUGAL-PSI20 em leve queda, contraria recuperação Europa

LISBOA, 5 Abr (Reuters) - As descidas da banca e dos ‘pesos-pesados’ EDP e Jerónimo Martins levam a bolsa portuguesa a negociar em queda, contrariando a reuperação que se vive na Europa, depois do ‘sell-off’ dos dois últimos dias, disseram dealers.

“Os mercados accionistas europeus atingiram ontem níveis onde haverá suporte técnico e não me surpreenderia se hoje assistissemos a uma recuperação enter 0,5 pct e 0,8 pct”disse Will Hedden, trader no IG Index.

Acrescentou: “vemos os investidores a posicionarem-se nos sectores que mais caíram ontem, ou seja, minérios e financeiro”.

* Os principais índices europeus seguem com subidas entre 0,2 pct e 0,5 pct, com os investidores a aproveitarem para entrar em títulos a preços de saldo.

Traders lambram, no entanto, que a ausência de catalisadores nos mercados financeiros e o fim-de-semama de Páscoa acabam por limitar os ganhos.

As bolsas do Velho Continente afundaram ontem entre 2 e 3 pct, numa sessão marcada pelo reacender da crise da Zona Euro, após um leilão de dívida pública espanhola que desapontou os mercados e levantou os receios de que Madrid tenha também de pedir um ‘bailout’.

* À semelhança de Portugal, que testou hoje os mercados com a emissão bem sucedida de Bilhetes do Tesouro (BT) a 18 meses, Espanha também foi hoje ao mercado primário de dívida, para colocar até 3.500 ME em Obrigações do Tesouro (OT) com maturidades em 2015, 2016 e 2020.

Porém, o leilão espanhol desapontou os investidores, uma vez que apenas foram colocados 2,5 mil milhões de euros, com taxas de juro mais elevadas em todas as maturidades, reflectindo o risco crescente que os investidores atribuem ao Reino.

* O Governo espanhol anunciou na semana passada um orçamento draconiano que prevê cortes na ordem dos 27 mil milhões de euros (ME), mas os mercados não estão ainda convencidos da capacidade do Executivo de Madrid para cumprir as duras medidas anunciadas.

Por outro lado, a dívida pública espanhola em 2012 deverá ascender a 79,8 pct do Produto Interno Bruto (PIB), bastante acima do limiar de 60 pct recomendado pela Comissão Europeia.

Além disso, o agravamento do desemprego e a deterioração da actividade económica alimentam receios de que o tesouro espanhol não será capaz de arrecadar receita fiscal suficiente, abrindo caminho a um pedido de resgate semelhante ao de Portugal, Grécia e Irlanda.

Este cenário causa arrepios aos investidores, uma vez que a Espanha, tal como a Itália, é considerada ‘too big to fail’, pondo em causa o próprio futuro da união monetária.

* Atenções voltadas para a reunião do Banco de Inglaterra, com os analistas a preverem uma manutenção da taxa de juro em 0,5 pct.

* A moeda única europeia segue na linha de água face à congénere norte-americana, para 1,3145 dólares.

* Em Portugal, o índice PSI20 cai 0,36 pct para 5.341,89 pontos, com 12 títulos em queda, 6 em alta e 2 inalterados

Negociaram 9,2 milhões de títulos no valor de 6,1 milhões de euros (ME) na NYSE Euronext Lisbon.

* A banca portuguesa continua pressionada, com o BPI a cair 1,32 pct para 0,45 euros, o Banco Espírito Santo a descer 2,02 pct para 1,215 euros enquanto o Millennium bcp segue estável nos 0,125 euros.

As acções do BCP chegaram ontem a cair mais de 9 pct, anulando os ganhos do último mês.

* A dar suporte ao índice estão ainda os ganhos de 1,31 pct da Galp Energia para 11,97 euros e de 0,21 pct da Portugal Telecom para 3,825 euros.

* Já a pressionar o índice ‘benchmark’ da bolsa portuguesa estão os ‘pesos-pesados’ EDP-Energias de Portugal e Jerónimo Martins, com quedas de 0,57 pct para 2,097 euros e de 0,26 pct para 15,145 euros, respectivamente.

* Os futuros do Dow Jones sobem 0,11 pct e os do Nasdaq ganham 0,33 pct, deixando antever uma abertura positiva em Wall Street, em dia de divulgação do indicador semanal de pedidos de subsídio de desemprego.

No mercado secundário de dívida soberana, a taxa de juro das Obrigações do Tesouro (OT) portuguesas a 10 anos sobem para 12,29 pct de 11,23 pct no fecho de ontem, no dia em que o Tesouro português regressou ao mercado primário para mais uma colocação de Bilhetes do Tesouro (BT).

Portugal vendeu o montante máximo indicativo de 1.500 milhões de euros (ME) em Bilhetes do Tesouro (BT) a 6 e 18 meses, colocando 500 ME em BT na maturidade mais curta e 1.000 ME na mais longa.

A taxa média ponderada (TMP) dos BT a 6 meses fixou-se em 2,9 pct face a 4,332 pct no leilão a 15 de Fevereiro último, enquanto a TMP dos 18 meses situou-se em 4,537 pct -- em linha com o secundário e contra os 5,993 pct da última emissão de Bonds equivalentes em Março de 2011, antes do ‘bailout’ da União Europeia e Fundo Monetário Internacional.

* Já os juros das OT a 10 anos de Espanha e Itália seguem com uma queda ligeira, com os espanhóis a descerem para 5,69 pct de 5,72 pct ontem e os italianos a caírem para 5,33 pct face a 5,38 pct na sessão anterior.

* Os preços do petróleo voltaram às subidas nos mercados internacionais, com o barril de Brent a ganhar 0,9 pct para 123,47 dólares e o de Crude a subir 0,92 pct para 102,40 euros.

Por Patrícia Vicente Rua

Our Standards:The Thomson Reuters Trust Principles.
0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below